Ubatuba - SP

Tuika II

Ubatuba via mar.

Fabricaçao

Projetada e fabricada pela Levefort, possui fortíssimo casco de 22 pés em liga naval de alumínio soldado, a proa é aberta, o que proporciona excelente acomodação com vista privilégiada durante a navegação, área gourmet com pia e torneira de água doce filtrada, bancada para preparo de pequenas refeições e drinks, pequeno banheiro químico, capacidade total contando com o marinheiro para 10 pessoas, potente motor Evinrude de 175hp. Acabamento em madeira e inox, estofados em corino náutico e teto rígido. A proa alta permite uma navegaçao macia, mesmo em mares mais agitados, o teto rigido protege do sol e das chuvas, alem de servir como um porta bagagem robusto. Com 2,3 metros de largura e 7 metros de comprimento, o Tuika II acomoda os passageiros e suas bagagens com tranquilidade.

Equipamentos

Equipada com moderno sistema de navegação via GPS, sonar, fish finder, rádio vhf, bússola e som (escolha sua trilha sonora, entrada para pendrive e cabo p2 para celular). A iluminação 100% LED conta com: 2 faróis de milha de 48W cada, luz de bordos, luz de alcançado, strobo de fundiado, iluminação interna com 4 spots de alto brilho e 1 luz de popa, todos de baixíssimo consumo, podendo permanecer acessos por várias horas (exceto faróis de milha). A embarcação conta também com equipamento de resgatagem completo, composto de 2 boias, coletes salva vidas para toda tripulação, artefatos pirotécnicos e fumígenos. O tanque de combustível em inox, tem capacidade de 180 litros o que confere até 6 horas de autonomia, já os dois tanque de água potável, tem capacidades somadas de 80 litros, agradável ducha manual na popa, água filtrada na pia e escada de acesso.

DICAS A BORDO

Tire os sapatos
Barcos são como casas de japoneses: todo mundo deve entrar descalço. É uma questão de limpeza, porque barcos são brancos e esta cor não combina com solas de sapatos. Atenção especialmente às mulheres: salto alto no convés, nem pensar.

Pergunte sobre o banheiro
Banheiros de barcos têm truques nas descargas do vaso. Assim, antes de passar pelo constrangimento de pedir ajuda, pergunte como ele funciona. É bem melhor antes do que depois.

Economize água
Barcos têm tanques pequenos, por isso é fundamental não desperdiçar água. Exagerar no chuveirinho na plataforma de popa ou tomar longos banhos na cabine são coisas que não se devem fazer nem em casa. Que dirá em um barco.

Não exagere na bagagem
Como já se sabe, barcos têm espaços reduzidos. Por isso, não leve para bordo nada além do necessário. E, ainda assim, acondicionado em bolsas macias, para poder guardar em qualquer cantinho a bordo.

Não faça o que não sabe
Na ânsia de querer ajudar na navegação, passageiros leigos muitas vezes acabam criando situações de risco a bordo. Portanto, só se meta a fazer o que sabe. Se não souber, pergunte ao comandante, a única pessoa a ser ouvida a bordo.

Ajude nas tarefas
A bordo, sempre há alguma coisa a fazer para ajudar na navegação — seja soltar um cabo ou prender uma defensa. Assim, na medida do possível, tente ajudar. Ou, pelo menos, se ofereça, caso necessário.